Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2010

Milhões de animais selvagens morrem anualmente nas estradas portuguesas

Cerca de 4500 animais selvagens vertebrados morreram num ano em 37 quilómetros de estradas entre Montemor e Évora, segundo um investigador da Universidade de Évora, que admite que a nível nacional o número atinja vários milhões.

À Lusa, António Mira, da Unidade de Biologia e Conservação da Universidade de Évora, explicou que o projecto MOVE estuda os impactes das estradas, como os efeitos de barreira e repulsa e as consequências da mortalidade nos vertebrados terrestres, como anfíbios (sapos e salamandras), répteis, aves e mamíferos.

Em 2005, em 365 dias de recolha, os investigadores detectaram 4499 animais mortos num percurso de 37 quilómetros, metade dos quais corresponde a vias secundárias, com um movimento inferior a 3500 veículos por dia.

"Se neste contexto morrem 4500 indivíduos num ano, imagine-se se quisermos extrapolar para todo o país, considerando todas as estradas. Têm de morrer vários milhões de indivíduos por ano e isto, na minha opinião, é significativo", argumentou.

No entanto, o investigador lembrou que a área estudada, entretanto alargada, corresponde ao principal eixo terrestre entre Lisboa e o resto da Europa (que é atravessado pela A6, N4, com a N114 em paralelo) e num corredor que vai receber o comboio de alta velocidade".

Já foi possível concluir que os anfíbios, por exemplo, desaparecem do alcatrão porque a sua pele fina se deteriora rapidamente. Muitos cadáveres servem de "alimento fácil" para predadores, cujo risco de atropelamento aumenta.

Porém, António Mira notou que aves como gralhas, pegas rabudas ou milhafres, que habitualmente se alimentam dos animais atropelados, parecem ter a capacidade de se defender, com excepção das aves juvenis. "Adoptam comportamentos que minimizam o risco de atropelamento".

Quanto aos animais domésticos, as informações do MOVE mostram que os gatos "morrem muito", sobretudo devido ao seu comportamento de caça a ratos e coelhos nas bermas.

Nesta altura de início do ano, devido ao cio, António Mira está convencido de que há mais mortes entre os machos dos gatos, por se movimentarem mais.

Quanto aos cães, o pico de atropelamentos, "mas sem nada de exagerado" é após o início da época da caça generalizada ao coelho e perdiz. As vítimas serão os que fogem ou que "infelizmente são abandonados por não cumprirem a função".

Na totalidade do projecto, cujas contagens se foram espaçando, foram contabilizadas pelo menos 10 mil mortes, mas o investigador acredita que os valores cheguem aos 12 ou 13 mil animais.

O MOVE tem como um objectivo recolher informação para "minimizar os efeitos adversos na biodeversidade".

Em Portugal, já foram tomadas medidas, principalmente em novas-autoestradas, como a A24 e a A7, utilizando vedações de malha muito estreita e passagens seguras para animais.

NO IC27 existe uma passagem inferior sobretudo dirigida a veados e javalis.

Outro objectivo é avaliar, para algumas espécies, a proporção da população que morre para determinar o impacte real dos atropelamentos na população dos animais.

Publicado por ccpbencatel às 14:45
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

C. C. P. B.

Pesquisar neste blog

 

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts Recentes

Convivio Piscatório 10-6-...

Calendário de exames para...

Largada de Pombos e Perdi...

Calendário Lunar 2015

Montaria 7-12-2014

Gancho 2/11/2014

Gancho 19/10/2014

Calendário Venatório 2014...

Informação aos Sócios

Nova página de compra de ...

Coelho bravo em risco de ...

Montaria na Serra D´Ossa ...

Navalheiro abatido na lua...

Navalheiro abatido no mil...

Época de caça ao coelho b...

Corrida em Bencatel já te...

13ª Semana da Juventude e...

Assembleia Geral

Tiros, copos e caracóis, ...

Populações de coelho dimi...

V Festival Taurino em Ben...

Assembleia Geral extraord...

Expocaça 2013

Largada de pombos 17/03/2...

Ocorrências parasitárias ...

Rádio campanário - Nota i...

Largada de pombos dia 17-...

IV Festival Taurino da Rá...

Caça, uma actividade de l...

Um Bom Natal e um Prósper...

Arquivos

Maio 2015

Abril 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Dezembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Junho 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Outubro 2007

Junho 2007

Maio 2007

O poeta diz:

A saúde, quando usada com moderação, pode trazer muito prazer e bem-estar à vida, desde que a sua utilização não prejudique o tabaco e o álcool.

web´s amigas

Visitantes


Rádio M80 - Online

Tempo Bencatel