Segunda-feira, 7 de Fevereiro de 2011

Um perigo chamado "Javali"

O automobilista que embateu num javali no Itinerário Complementar 1, entre Grândola e Alcácer de Sal, escapou ileso, mas viu como a frontaria da carrinha ficou parcialmente destruída. As autoridades garantem ter sido apenas mais um acidente a juntar às várias colisões que recentemente têm ocorrido entre automóveis e aquela espécie de suíno selvagem, que prolifera em algumas zonas do Litoral Alentejano.

Já era noite cerrada e só vi um vulto atravessar-se à minha frente, nem ia depressa e não tive tempo de fazer nada”, relata ao “Diário do Sul” Amércio Vaz Pinto, o automobilista que ainda consultou as autoridades, ficando a saber que por se tratar de um animal selvagem não terá direito a qualquer indemnização, até porque tem apenas seguro contra terceiros.

Já fico satisfeito de não me ter acontecido nada, porque aquilo era um monstro e apanhei um enorme susto. Chamei o reboque, que me avisou logo que não teria onde me agarrar e fui para casa”, admite resignado.

É precisamente este o sentimento transversal às restante vítimas dos javalis, entre os 80 e os cem quilos, que durante a noite decidem atravessar as estradas da região. Há relatos da Brigada de Trânsito (BT), segundo os quais, algumas viaturas ficaram condenadas à sucata após embater nos animais, já que além da chapa amolgada, deixaram mesmo de circular.

Só os proprietários com seguro de danos próprios (cobertura contra todos os riscos) têm direito a indemnização. “Os restantes ficam com o prejuízo, porque, como o animal é selvagem, não há responsáveis pelos estragos, sendo considerado como uma causa natural”, segundo explica uma fonte da BT, admitindo, por essa via, que a maioria dos acidentes deste género nem sejam comunicados às autoridades. Isto apesar de já terem existido acidentes dos quais resultaram pessoas feridas, algumas com gravidade.

O fenómeno não é recente, embora se tenha agravado nos últimos anos, como explica o veterinário Luís Miguel Lopes, alegando que o facto de praticamente todo o Alentejo estar coberto por reservas de caça, limitando o abate de javalis "a algumas montarias, que são caras e não dão para todos", deixa uma grande margem à multiplicação daquela espécie.

"Hoje há muitos mais javalis do que havia há, por exemplo, dez anos", assegura, acrescentando ainda que os javalis estão a fugir para as zonas de regadio, depois dos fogos e das secas que marcaram os últimos anos. "Estão a procurar os vales do Sado e do Tejo, quando dantes andavam mais pela zona da raia. O problema é que aqui há mais estradas", sublinha, justificando tratar-se de uma espécie que "percorre dezenas" de quilómetros à procura de comida e água, passando por todo o lado e comendo de quase tudo, sem predador.

Os historiadores falam de um animal muito antigo, que era desenhado pelos homens das cavernas, não só pelo sabor suculento que a sua carne oferecia, tornando-o um dos principais alvos na Idade Média, mas também porque representava agressividade, bravura e rapidez. Pode não parecer, levando em conta os mais de cem quilos de peso, mas este animal atinge velocidades loucas, correndo tendencialmente em linha recta, e caracteriza-se por ser um exímio nadador, o que lhe permite cruzar ribeiros à procura de comida – raramente está no mesmo território - utilizando a força do focinho para derrubar cercas e até levantar pedras cravadas no solo.

Fonte: "Diário do Sul"

Publicado por ccpbencatel às 14:25
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

C. C. P. B.

Pesquisar neste blog

 

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts Recentes

Convivio Piscatório 10-6-...

Calendário de exames para...

Largada de Pombos e Perdi...

Calendário Lunar 2015

Montaria 7-12-2014

Gancho 2/11/2014

Gancho 19/10/2014

Calendário Venatório 2014...

Informação aos Sócios

Nova página de compra de ...

Coelho bravo em risco de ...

Montaria na Serra D´Ossa ...

Navalheiro abatido na lua...

Navalheiro abatido no mil...

Época de caça ao coelho b...

Corrida em Bencatel já te...

13ª Semana da Juventude e...

Assembleia Geral

Tiros, copos e caracóis, ...

Populações de coelho dimi...

V Festival Taurino em Ben...

Assembleia Geral extraord...

Expocaça 2013

Largada de pombos 17/03/2...

Ocorrências parasitárias ...

Rádio campanário - Nota i...

Largada de pombos dia 17-...

IV Festival Taurino da Rá...

Caça, uma actividade de l...

Um Bom Natal e um Prósper...

Arquivos

Maio 2015

Abril 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Dezembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Junho 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Outubro 2007

Junho 2007

Maio 2007

O poeta diz:

A saúde, quando usada com moderação, pode trazer muito prazer e bem-estar à vida, desde que a sua utilização não prejudique o tabaco e o álcool.

web´s amigas